Boletim - Agosto 2016

Fundação Energia e Saneamento

Memória



Fachada oeste do antigo prédio principal da Subestação Paula Souza. Junho, 1921


Primeira subestação de energia da Capital completa 115 anos


Na última terça-feira (16/8), a AES Eletropaulo celebrou os 115 anos da Subestação Paula Souza, na Capital, reinaugurando as suas instalações com a modernização do sistema. A subestação é a mais antiga estrutura transformadora e distribuidora de energia elétrica do Estado. Inaugurada em 1901 junto da Usina de Parnaíba, primeira hidrelétrica a gerar eletricidade para a cidade de São Paulo, a ETD compunha o sistema de energia da extinta companhia Light e foi construída ao lado do rio Tamanduateí, no Centro.

No dia do evento, o público pôde conhecer as novas instalações da subestação com a renovação de seus equipamentos de alta tensão - com tecnologia que permite a redução do espaço ocupado e melhoria de performance -, além de conferir um mural com imagens da ETD no início do século 20, e que pertencem ao acervo iconográfico da Fundação Energia e Saneamento. Em princípio, além de contribuir para o sistema de iluminação pública, a ETD fornecia energia para os bondes elétricos da Capital.

Sua primeira edificação foi construída com paredes de tijolos prensados, vermelhos, com vigamento de aço para oferecer segurança contra incêndios. O complexo foi considerado uma obra monumental, contando, em equipamentos, com o que havia de mais moderno e de alta potência à época.

Mais tarde, na década de 1970, um prédio, idealizado por Ruy Ohtake, foi construído no complexo da subestação, com a instalação do primeiro equipamento com sistema de isolamento a gás (GIS). Para além desta primeira modernização da ETD, a edificação de Ohtake ganharia destaque na paisagem da região, por sua arquitetura inovadora.



Vista sul das obras na Subestação Paula Souza. 23/2/1901




Instalações dos equipamentos no interior da Subestação Paula Souza.
29/5/1901





Vista interna da Subestação Paula Souza. 1911-1912




Interior de sala da Subestação Paula Souza com novos equipamentos.
Foto: AES Eletropaulo

Rede Museu da Energia


Prefeitura de Itu inicia comodato com o
Museu da Energia

No dia 15 de agosto, a Prefeitura Municipal de Itu formalizou parceria com a Fundação Energia e Saneamento, mantenedora do Museu da Energia da cidade. A parceria prevê o uso compartilhado do imóvel do Museu para a instalação da Escola Municipal de Iniciação Artística Manolo Santoro (EMIA).

Com funcionamento de segunda a sexta, das 8 às 17 horas, a Escola Manolo Santoro oferece aulas gratuitas de música, teatro e desenho para crianças e adolescentes e, hoje, atende a aproximadamente 80 alunos.

"Esse comodato marca uma nova fase da parceria existente há alguns anos entre a Fundação e a Prefeitura, permitindo a realização de atividades diversificadas no espaço museológico e garantido a formação e a renovação do público do Museu. Espero que seja mantida por anos e que se estenda para outras instituições locais que, como o Museu, necessitam do apoio do poder público local", explica Ana Sbrissa, coordenadora do Museu da Energia de Itu.





Estiveram presentes na assinatura do comodato a secretária municipal da Cultura Allie Marie Dias de Queiroz e o prefeito Antonio Tuíze; representando a Fundação Energia e Saneamento, o presidente do Conselho de Administração Sergio Camargo, a diretora executiva Rita Martins, a gerente Administrativa e Financeira Isabel Cristina Sacutti, a coordenadora do Museu da Energia Ana Sbrissa e a educadora Fernanda Moraes. Foto: Divulgação

Espaço das Águas



Grupo de pessoas reunidas posam para foto sobre uma das pontes do Canal 1 na sua inauguração. 27/8/1907. Acervo Memória Sabesp


Canal 1 de Santos- o marco inicial do projeto de Saturnino de Brito

Em 27 de agosto de 1907, há exatos 109 anos, acontecia a inauguração do Canal "Ribeirão dos Soldados", atual Canal 1, na Avenida Senador Pinheiro Machado, em Santos. Projetado pelo engenheiro sanitarista Saturnino de Brito, o canal retificou o curso do poluído Ribeirão dos Soldados (nas avenidas Rangel Pestana e Campos Salles), que teve seu traçado revestido com concreto armado, o que era uma novidade na época.

As obras do primeiro canal da cidade tiveram início em 19 de outubro de 1905. O objetivo era separar as águas de rios e córregos do esgoto, reduzindo a propagação de doenças na cidade, que chegou a ter, entre 1890 e 1904, o equivalente à metade de sua população dizimada por doenças epidêmicas. Para além do Canal 1, com a instalação do sistema de redes de esgoto e águas pluviais elaborado por Brito, foram extintos os focos que provocaram os diversos surtos epidêmicos. Apesar da modernização do sistema de saneamento centenário, suas peças principais estão em uso até hoje, atendendo à população santista.




Multidão na cerimônia de inauguração do Canal "Ribeirão dos Soldados",
atual Canal 1. Acervo Memória Sabesp





Multidão na cerimônia de inauguração do Canal "Ribeirão dos Soldados",
atual Canal 1. Acervo Memória Sabesp



Notícias


Museu da Energia de
São Paulo participa
da 2ª Jornada do Patrimônio

Neste sábado (27/8), o Museu da Energia de São Paulo participa da segunda edição da Jornada do Patrimônio, evento promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), com o intuito de fomentar o conhecimento e a valorização do patrimônio histórico e cultural da cidade.

Com novo funcionamento (segunda a sexta, das 10 às 17 horas), o Museu da Energia estará aberto, excepcionalmente, no sábado, oferendo visitas guiadas (às 11 e 15 horas) que abordam as memórias e o estilo arquitetônico de seu centenário casarão, construído em 1894 para abrigar a família de Henrique Santos Dumont. A entrada é gratuita.





Histórico do casarão e detalhes arquitetônicos do Museu da Energia integram roteiro especial



"Passarinhada" reúne
observadores de aves no
Museu da Energia
em Salesópolis

No dia 13 de agosto, mais de 80 pessoas conferiram a primeira edição do evento "Passarinhada em apoio ao Museu da Energia de Salesópolis". Organizada pelo grupo "Amigos da Usina", a ação ofereceu saídas guiadas para registro fotográfico e observação de aves nas trilhas do Museu da Energia e orientações aos iniciantes da prática de birdwatching, além da palestra "Em busca do bicudinho-do-brejo-paulista", com a ornitóloga Glaucia Del-Rio, da Louisiana State University.

A "1ª Passarinha" objetivou chamar a atenção da sociedade civil, e de possíveis entidades e empresas patrocinadoras, para evitar a suspensão das atividades do Museu da Energia de Salesópolis, que necessita de novos recursos para manter seus custos operacionais. Confira aqui a cobertura da TV Diário sobre o evento.






Evento contou com palestra da ornitóloga Glaucia Del-Rio sobre a espécie bicudinho-do-brejo-paulista. Foto de Elvis Japão



Desde 2012, mais de 280 espécies de aves já foram observadas, fotografadas
e catalogadas na área do Museu da Energia




Mais de 80 pessoas conferiram as atrações do evento, incluindo famílias
e grupos de escoteiros


Corpo Editorial: 
Isabel Felix e Mariana de Andrade
Apoio à pesquisa: Bianca Grazini e Tatiane Oliveira
Webdesign: Fernando de Sousa Lima
Copyright © 2016 Fundação Energia e Saneamento. Todos os direitos reservados.
As imagens sem identificação pertencem ao acervo da Fundação Energia e Saneamento.


Política Anti-SPAM: Em respeito a você, caso não queira mais receber nossas Mensagens
Eletrônicas clique aqui  e envie um e-mail com a palavra REMOVER.

Contato: imprensa@energiaesaneamento.org.br



Rede Museu da Energia
Espaço das Águas


@energiaesaeamento



Fundação Energia e Saneamento Alameda Cleveland, 601 - Campos Elíseos - 01218-000 - São Paulo - Tel.: (11) 3224-1499 Desenvolvido por: Memoria Web