Boletim - Março 2015

 

Memória



Homens, mulheres e crianças reunidos no lado externo da Hospedaria dos Imigrantes, principal local de abrigo dos estrangeiros recém-chegados à Capital.
Guilherme & Lindemann. S.d.


Imigração na São Paulo do século 20 - o acervo da Light

A chegada da companhia de energia The São Paulo Tramway, Light & Power Co. Ltd à Capital, em 1900, ocorreu em um período de grandes mudanças demográficas. Entre as décadas de 1890 e 1920, milhares de imigrantes instalaram-se em São Paulo e tiveram um papel importante na industrialização e na transformação da cultura e das relações sociais na cidade. O crescimento da economia cafeeira e a adoção de políticas de imigração a partir de 1910 - ainda que atreladas à estratégia de engenharia social de branqueamento da população -, foram os principais fatores que impulsionaram a vinda dos cerca de três milhões e meio de estrangeiros ao Brasil no período.

Apesar de grande parte da mão-de-obra imigrante ter como destino as lavouras de café, foram muitos os estrangeiros que ingressaram nas frentes de trabalho oferecidas pela indústria. Segundo o historiador Edgard Carone, em 1901, menos de 10% dos cerca de 50 mil operários do Estado de São Paulo eram brasileiros. A ampliação das oportunidades de emprego nas fábricas deveu-se , em especial, à expansão da eletricidade, força propulsora das máquinas, que ganharia fôlego, em São Paulo, com o estabelecimento da Light.





A fazenda Ibicaba, do senador Nicolau de Campos Vergueiro (1778 - 1859),
foi a primeira a receber imigrantes (alemães, suíços e belgas) para trabalhar
na lavoura do café. S.d.




Hotéis italianos no Largo do Brás. Na capital, além do Brás, os bairros do Bixiga
e Mooca eram redutos da colônia italiana em São Paulo. 26/8/1900.
Guilherme Gaensly


E dentro do quadro da companhia de energia, este fenômeno imigratório também era verificável: até os anos 1930, mais da metade dos trabalhadores da Light eram estrangeiros. As fichas e prontuários dos funcionários da empresa, que integram o acervo da Fundação Energia e Saneamento e encontram-se disponíveis para consulta em seu Núcleo de Documentação e Pesquisa (NDP), são uma rica fonte de informações sobre a imigração e o trabalho no Brasil, especialmente na primeira metade do século XX.




O ajudante de pátio Gines Garcia foi contratado pela Light em 1937.
Os espanhóis que vieram depois da Guerra Civil Espanhola (1936-1939) encontraram nas cidades e nas indústrias mais oportunidades



O conservador Giovanni Apa ingressou na companhia de energia em 1934. Os italianos formaram a maior colônia de imigrantes do Brasil


Recentemente, a equipe do NDP finalizou a higienização, catalogação e acondicionamento de cerca de 18 mil documentos, do período de 1909 a 1970, de trabalhadores do setor de Oficinas e Material Rodante da Light. Responsável pela manutenção dos bondes elétricos, a seção localizava-se no bairro do Cambuci, no centro de São Paulo.

De 1909 até 1930, os documentos dos funcionários consistem em fichas simples, sem foto. De 1930 a 1970, há uma diversidade maior, com prontuários que contêm atestados médicos, pedidos de indenização e aposentadoria, entre outros. Além desse material, o acervo da Fundação Energia e Saneamento oferece possibilidades de pesquisa para o estudo da imigração e do trabalho em São Paulo por meio dos Relatórios de Departamento Pessoal e de arquivo iconográfico. Interessados em conhecer o material podem entrar em contato pelo e-mail pesquisa@energiaesaneamento.org.br.



A Light também possuía, em seu quadro, funcionários de países menos visados pela política de imigração. Da esquerda para a direita, o argentino Armando Zuccarelli;
o norte-americano Thorolf Heltberg Relling; o austríaco Wolfgang Niederseer e o luxemburguês José Lenktaitis, contratados entre 1936 e 1937


Apesar da imigração atrair, em maior parte, as populações da Europa Ocidental, a vinda de muitos povos do Leste Europeu também foi expressiva. Da esquerda para a direita: o malhador Rudolph Sparns e o eletricista Rudolpho Druske, ambos da Letônia; o mensageiro Antonio Ihas, da Yogoslávia; o torneiro mecânico Nicolau Hein, da Romênia; e o lavador de autos Americo Coricsoner, da Hungria. Todos ingressaram na Light entre 1935 e 1937

Rede Museu da Energia


Museu da Energia
de São Paulo celebra
Ano Internacional da Luz
com novo espaço

Estabelecido pela ONU, 2015 será celebrado como o Ano Internacional da Luz. Para reunir esforços à campanha da entidade internacional, que tem como objetivo reconhecer a importância deste elemento na vida, no futuro e no desenvolvimento da humanidade, o Museu da Energia de São Paulo irá inaugurar, no dia 11 de abril, o "Espaço Luz". No local, os visitantes poderão conhecer experimentos que tratam das diversas potencialidades da luz.

Instalado no andar térreo do Museu até o mês de dezembro, o novo ambiente irá destacar algumas das propriedades da luz, entre elas a tecnologia óptica e a geração de energia, por meio de experimentos como o globo de plasma, a placa solar, a miragem 3D e o disco de Newton.


Público terá contato com experimentos voltados às propriedades da luz, como o globo de plasma. Foto de Caio Mattos

Espaço das Águas


Exposição fotográfica levanta
reflexão sobre a questão
hídrica no Estado


Até o dia 30 de junho, o Museu da Energia de Salesópolis abriga a exposição fotográfica "Água: retratos de uma nova consciência". Inaugurada no Dia Mundial da Água (22/3), a mostra traz uma seleção de imagens de fotógrafos profissionais e amadores que procuram apreender, artisticamente, fragmentos do contexto atual de crise hídrica no Estado de São Paulo. A ideia é levar o público a refletir sobre a importância do uso responsável dos recursos hídricos.

Instalada na sala Espaço das Águas, a exposição reúne fotografias de Ary Attab Filho, Fernando Maia, João Vitor Pereira Ferrari, Messias Cunha, Ricardo Oliveira e Valéria Centola Attab.




"Escassez de água", de Ary Attab Filho, é uma das imagens selecionadas para a exposição

Notícias


Últimos dias da exposição
"História da Energia"
na estação Tatuapé
do Metrô de SP

Até o dia 31 de março, a estação Tatuapé do Metrô de São Paulo abriga a exposição itinerante "História da Energia Elétrica no Estado de São Paulo (1847-2013)". Produzida pela Fundação Energia e Saneamento, a mostra reúne, em uma linha cronológica, os marcos do processo de evolução da indústria de energia elétrica, fundamental para o desenvolvimento econômico e social do Estado de São Paulo.

A exposição destaca, por exemplo, a construção de algumas das primeiras usinas hidrelétricas do Estado ainda no final do século 19, a inauguração de iluminação pública nas cidades paulistas e a implantação das primeiras linhas de bonde elétrico do Brasil na Capital. Esta é a última oportunidade para ver a exposição no Metrô de São Paulo. Antes de ser montada na estação Tatuapé, a mostra passou pelas estações Santa Cecília, Paraíso e Luz.




Exposição já passou pelas estações Santa Cecília,
Paraíso e Luz do Metrô de São Paulo




Mostra segue exposta em Praia Grande até o dia 14 de abril.
Foto de Felipe França/PPG


Mostra de cartuns "Água:
Energia do Planeta Terra"
chega a Praia Grande


Agora é a vez do público da Baixada Santista conferir a mostra itinerante "Água: Energia do Planeta Terra", da Fundação Energia e Saneamento. A exposição, que apresenta a produção de cartunistas de diversos países com o intuito de incentivar o consumo consciente dos recursos hídricos, segue até o dia 14 de abril na Coordenadoria de Educação Ambiental (CEA) de Praia Grande. Exposta desde o dia 20 no local, a mostra marcou a abertura da Semana da Água promovida pela CEA.

Por meio de 32 cartuns distribuídos em oito painéis, "Água: Energia do Planeta Terra" revela o trabalho de desenhistas que usam sua arte para provocar inquietações sobre a urgência de utilizar a água de forma racional, percebendo-a como um patrimônio a ser preservado. A CEA fica na Área de Lazer Ézio Dall'Acqua, conhecido como Portinho, na entrada da cidade.

A Fundação Energia e Saneamento possui um programa de empréstimo de suas exposições itinerantes a empresas e associações interessadas. Algumas das mostras disponíveis podem ser conferidas aqui.

 
Corpo Editorial:  Isabel Felix, Mariana de Andrade e Miguel Zioli
Apoio à pesquisa: Bianca Grazini Dela Coleta e Maíra de Andrade Scarello
Webdesign: Fernando de Sousa Lima
Copyright © 2015 Fundação Energia e Saneamento. Todos os direitos reservados.
As imagens sem identificação pertencem ao acervo da Fundação Energia e Saneamento.


Política Anti-SPAM: Em respeito a você, caso não queira mais receber nossas Mensagens
Eletrônicas clique aqui  e envie um e-mail com a palavra REMOVER.

Contato: imprensa@energiaesaneamento.org.br



Rede Museu da Energia
Espaço das águas



Fundação Energia e Saneamento Alameda Cleveland, 601 - Campos Elíseos - 01218-000 - São Paulo - Tel.: (11) 3224-1499 Desenvolvido por: Memoria Web