Boletim - Setembro 2015

Fundação Energia e Saneamento

Memória



Obras da Usina de Rasgão. 4/8/1925


Usina de Rasgão, 90 anos - a resposta da Light à estiagem paulista


Ainda em operação, a Usina Hidrelétrica de Rasgão completou 90 anos em setembro. O projeto de sua construção foi uma das ações do Grupo Light para combater os problemas de fornecimento de energia à Capital, ocasionados por uma forte estiagem que atingiu o Estado de São Paulo entre os anos de 1924 e 1925 e diminuiu o nível dos reservatórios das duas hidrelétricas operadas pela Light à época, as usinas de Parnaíba e Itupararanga.

A crise levou a companhia a tomar diversas medidas, entre elas a realização de campanhas de incentivo à redução de consumo e a compra de energia gerada por outras empresas. Mas a seca e a crise prosseguiram e, em outubro de 1924, foram iniciadas as obras da Usina de Rasgão, construída no Rio Tietê, em Pirapora do Bom Jesus. No local, em meados do século XVIII, o capitão Fernão Paes de Barros iniciou a abertura de um canal, um "rasgão" que desviaria a água do leito do rio, para a procura de ouro.

Sob a direção do engenheiro e vice-presidente da Light em São Paulo, Asa W. K. Billings, as obras da hidrelétrica foram concluídas em menos de 11 meses, tempo relativamente curto para a época. A inauguração de seu primeiro gerador, em caráter experimental, ocorreu em 6 de setembro de 1925. A casa de máquinas foi projetada pelo prestigiado escritório do arquiteto Ramos de Azevedo. Sete dias após o início do funcionamento de sua segunda unidade geradora, a 6 de novembro de 1925, foi decretado o fim do racionamento de energia na Capital, iniciado em fevereiro do mesmo ano.

Com uma capacidade instalada de 23,6 MW quando inaugurada, a Usina Hidrelétrica de Rasgão operou sem interrupções até ser desativada em 1961, em virtude de uma infiltração em seu canal. Em 1989, suas estruturas foram recuperadas e Rasgão foi reintegrada ao sistema de geração de energia do Estado. Atualmente, é operada pela EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.




Vista geral da Usina Hidrelétrica de Rasgão. S.d.




Usina de Rasgão. S.d.



Represa da Usina de Rasgão rio Tietê abaixo. 13/12/1925




Vista interna do desenvolvimento da casa de máquinas. 28/05/1926

Rede Museu da Energia


Rede Museu da Energia participa da ação
"Dia de Ler - Todo Dia!"

No dia 1º de outubro, a Rede Museu da Energia participa da ação "Dia de Ler. Todo Dia!", uma mobilização, em nível nacional, de incentivo à prática da leitura. A iniciativa é inspirada no Dia do Desafio, campanha mundial que estimula a atividade física e o esporte por meio de uma competição saudável entre cidades. Das 9 às 21 horas, escolas e instituições por todo o país realizarão atividades voltadas à leitura.

Na data, o Museu da Energia de Itu abrirá o seu jardim para uma contação de histórias e o setor educativo oferecerá atividades lúdicas a partir do acervo de sua Gibiteca, que, atualmente, conta com mais de 1.200 títulos.

No Museu da Energia de Salesópolis, haverá a realização de uma ação coletiva incentivando a prática da leitura entre os seus funcionários, além da doação de livretos que exploram a temática da energia e do meio ambiente junto ao público que visitar o espaço na data.





Campanha em nível nacional incetiva a prática da leitura. Foto: Agência UnB

Espaço das Águas


Ação educativa promove
análise das águas do Rio Tietê

O Museu da Energia de Salesópolis promove, até este domingo (27/09), a ação educativa "Monitorando as águas do Rio Tietê". A atividade visa homenagear o Dia do Tietê, celebrado em 22 de setembro. Na ação, o público será convidado a realizar, junto à equipe educativa, a análise físico-química das águas do curso.

As amostras serão coletadas dentro da área do próprio Museu da Energia, no reservatório da Usina, no Parque das Nascentes, e nos municípios de Biritiba Mirim e Mogi das Cruzes - no Parque Centenário. O objetivo é promover uma reflexão sobre o nível de poluição do Tietê na região. Para as análises, os visitantes receberão ecokits cedidos pelo Museu da Energia, que possibilitarão, entre outras noções, investigar as diferenças de cor, odor e pH das amostras.




Rio Tietê em Pirapora do Bom Jesus, onde já é possível observar a espuma decorrente da poluição. Foto de José Bianchini


Notícias


Museu da Energia de Itu realiza
atividade especial na
9ª Primavera dos Museus

Como forma de participar da 9ª Primavera dos Museus, programação especial promovida em setembro pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) e que tem, neste ano, o tema "Memórias Indígenas", o Museu da Energia de Itu realiza, neste domingo (27), a ação educativa "Objetos que contam história".

A atividade, que acontece às 15 horas, utilizará vestígios de cerâmica tupi-guarani encontrados no subsolo do Museu como ponto de partida para uma discussão sobre o início do povoamento de Itu, que teria ocorrido, ainda no século 16, quando jesuítas estabeleceram-se no chamado aldeamento Maniçoba. O objetivo é explorar as peças do acervo arqueológico do Museu da Energia para estimular os participantes a refletirem sobre os objetos, reconhecendo sua narrativa histórica por meio da observação.




Vestígios de cerâmica indígena encontrados no subsolo do Museu da Energia
serão usados na atividade


Museu da Energia de São Paulo realiza oficina gratuita
de Toy Art em papel

Nos sábados de outubro, o Museu da Energia de São Paulo promoverá uma oficina de Toy Art em papel, técnica de modelismo em miniatura para a produção de objetos 3D. A atividade, que é voltada ao público infanto-juvenil e acontece nos dias 3, 10, 17 e 24 do mês, às 14 horas, terá como ponto de partida uma visita guiada à exposição "Tempos de Energia: São Paulo em transformação".

Durante a ação, os educadores convidarão o público a refletir sobre o tema energia instigando a percepção e a curiosidade a respeito das peças do acervo do Museu e dos conceitos trabalhados, com a apresentação de personagens ligados ao desenvolvimento científico do setor.

A partir daí, os visitantes serão convidados a produzir e "dar vida" às figuras ligadas ao setor energético em modelo de Toy Art. A oficina é gratuita e não há necessidade de inscrição.


Fundação participa do
3º Simpósio sobre Patrimônio
Material e Imaterial em Jundiaí

No dia 28 de agosto, a Fundação Energia e Saneamento participou do 3º Simpósio sobre Patrimônio Material e Imaterial, realizado no Complexo Fepasa, em Jundiaí. Uma iniciativa da Secretaria de Cultura Municipal por meio da Diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural, o evento, que ocorreu entre os dias 26 e 29, contou com palestras, workshops, debates e visita técnica que abordaram diversos temas voltados à preservação de patrimônio. Durante o evento, houve a exposição de 16 trabalhos científicos e a presença de 400 participantes.

A instituição foi representada pela gerente de Documentação e Pesquisa Isabel Regina Felix e a superintendente Rita de Cassia Martins, que realizaram a apresentação "Fundação Energia e Saneamento: Núcleo de Documentação e Pesquisa (NDP) em Jundiaí", que destacou o acervo arquivístico e bibliográfico e a mudança do NDP, antes localizado no bairro da Penha, na Capital, para a cidade.




No evento, a Fundação apresentou, também, algumas de suas publicações,
como o livro "Catullo Branco: o homem dos moinhos de vento".
Foto: Prefeitura Municipal de Jundiaí


Corpo Editorial: 
Isabel Felix, Mariana de Andrade e Miguel Zioli
Apoio à pesquisa: Bianca Grazini e Maíra de Andrade Scarello
Webdesign: Fernando de Sousa Lima
Copyright © 2015 Fundação Energia e Saneamento. Todos os direitos reservados.
As imagens sem identificação pertencem ao acervo da Fundação Energia e Saneamento.


Política Anti-SPAM: Em respeito a você, caso não queira mais receber nossas Mensagens
Eletrônicas clique aqui  e envie um e-mail com a palavra REMOVER.

Contato: imprensa@energiaesaneamento.org.br



Rede Museu da Energia
Espaço das Águas



Fundação Energia e Saneamento Alameda Cleveland, 601 - Campos Elíseos - 01218-000 - São Paulo - Tel.: (11) 3224-1499 Desenvolvido por: Memoria Web